segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Agente acusa chefe de assédio sexual dentro da Penitenciária II de Serra Azul



Uma agente de segurança da Penitenciária II de Serra Azul (SP) acusa um dos diretores da unidade de assédio sexual. Segundo a mulher, de 44 anos, o chefe a intimidou, disse que sentia atração por ela e, sem sucesso nas investidas, ainda se masturbou diante dela, dentro da sala de trabalho.

A Polícia Civil investiga o caso. O delegado Eduardo Martinez afirmou que não comentará detalhes sobre o inquérito, apenas confirmou já ter registrado o depoimento da vítima e de testemunhas. O suspeito ainda será convocado para prestar esclarecimentos.

O advogado da vítima, Edson Nunes da Cosa, disse que ingressou com um pedido de investigação por meio de Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD), uma espécie de sindicância interna.

Em nota, a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) informou que a direção da unidade instaurou um Procedimento Apuratório Preliminar para averiguação dos fatos. Segundo a secretaria, os dois servidores - o diretor e a agente - foram transferidos para outras funções enquanto acontece a apuração administrativa.

Denúncia

Em entrevista ao G1, a agente penitenciária, que prefere não ser identificada, contou que levou dois meses para levar o caso à polícia e aos superiores porque sentia medo de ser penalizada, uma vez que o suspeito é seu chefe direto.

“Ele foi aprovado no mesmo concurso que eu. Ele era meu amigo, era amigo de sentar, trocar ideia, falar dos problemas, a gente conversava sobre coisas da vida, do trabalho. É isso que me deixa pior, ele era meu amigo”, afirmou.

A servidora contou que estava afastada do trabalho há quatro anos, devido a um tratamento contra depressão. Em julho, quando retornou às funções, foi designada para atuar no rol de visitas do presídio, junto à documentação dos familiares dos presos.

Logo nos primeiros dias, ela disse que percebeu as investidas do diretor, que chegou a convidá-la para visitar sua casa. Entretanto, no dia 12 daquele mês, quando estava em sua mesa de trabalho, o suspeito passou por ela e encostou o órgão genital em seu braço.

“Minha colega viu e eu fiquei sem graça. Eu não sabia o que fazer. Eu não sabia se chorava, se saía dali. A única coisa que eu fiz foi dizer ‘ou, isso é assédio sexual’. Ele atravessou a sala rindo, como se fosse uma brincadeira”, afirmou.

No mesmo dia, após a colega com quem trabalha ir embora, a agente disse que o chefe voltou à sala, sentou-se diante dela e começou a dizer que sentia atração por ela. Nesse momento, disse que estava excitado e pediu que colocasse a mão em seu órgão genital.

“Ele falou ‘Não, você vai lá em casa (sic), a gente não vai fazer nada que você não queira.’ Daí eu disse ‘Como é que é?’. Daí ele começou a dizer umas coisas nojentas para mim, que está no depoimento e não quero nem lembrar porque eu começo a passar mal”, relembrou.

Diante da recusa, ainda segundo a agente penitenciária, o diretor se levantou, se posicionou entre os armários da sala, em um local onde as câmeras de segurança não conseguem filmar, abaixou a calça e passou a se masturbar diante dela.

“Eu pensei em tudo. Pensei em jogar a cadeira nele, em jogar o furador de papel nele, em voar na jugular dele, eu pensei em correr dali. Eu pensei em tudo, eu pedia para ele sair da sala, e ele não saía”, afirmou.

A servidora disse então que correu, se trancou no banheiro e permaneceu ali os minutos que faltavam para terminar o expediente. Ela contou que chorou muito e só pensava que poderia fazer nada porque não tinha provas do que havia acontecido.

“Eu me tranquei no banheiro e pensei ‘eu não tenho provas, o que eu vou fazer?’. Eu saí dali me sentindo um lixo, eu chorei dentro do banheiro, eu chorei dentro do ônibus na hora de ir embora. Eu chorei durante três semanas à noite, eu senti medo”, desabafou.

Provas do assédio

A mulher disse que, a partir do episódio, o diretor passou a cercá-la, sempre impedindo que ficasse sozinha com outros funcionários, mas os dois não conversaram sobre o que havia ocorrido. Ela disse ainda que começou a tomar calmantes e chorava com frequência.

Em agosto, uma colega de trabalho percebeu que ela não estava bem e passou a questioná-la sobre isso. A funcionária revelou que sabia que o chefe encostou o órgão genital no braço dela, porque outra servidora que presenciou o fato contou o que havia ocorrido.

“Eu não tinha comentado com ninguém, nem com meu psiquiatra. Então, eu contei o resto e ela ficou indignada, disse que era muito grave e que alguma coisa tinha que ser feita. Foi nesse momento que eu pensei ‘Não posso me deixar acuar”, relembrou.

A servidora disse que, orientada por um amigo, decidiu gravar a confissão do diretor. Usando o celular, chamou o chefe para duas conversas e o questionou sobre o fato. O diálogo foi gravado em áudio, e acabou anexado ao inquérito policial e ao pedido de sindicância.

“Ele contava com meu medo, meu silêncio, minha falta de provas, meu estigma de ser encrenqueira. Eu saí me sentindo culpada, eu saí pensando: o que eu fiz para dar a entender a esse cara que eu não mereço respeito? Eu me senti um lixo”, desabafou.

fonte: G1




sábado, 24 de setembro de 2016

‘Saidinha’ temporária libera 1,5 mil presos em Rio Preto



A terceira saída temporária desse ano liberou 1.521 detentos do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Rio Preto, na manhã desta quinta-feira, dia 22. Dessa vez, nenhum preso usará a tornozeleira eletrônica. Os reeducandos devem retornar à unidade na próxima quarta-feira, dia 28, até as 16h. Quem não seguir a determinação será considerado foragido da Justiça.

Na última “saidinha”, em junho, dois detentos do CPP - Abner Saulo Oliveira Calixto, 26 anos, e Rodrigo Costa de Lima, 28 anos, junto com outros suspeitos - assassinaram o delegado Guerino Solfa Neto, do Deinter-5. A dupla rendeu a vítima, que estava dentro de sua caminhonete às margens da BR-153, no dia 23 de junho, dois dias após serem liberados temporariamente. Eles e outros dois acusados de participarem do latrocínio, Elias Fernandes Nascimento, 18 anos, e Silvia Rosino Melo, 37 anos, estão presos.

Desde o dia 14 de março, a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) deixou de monitorar presos com a tornozeleira eletrônica porque terminou - e não foi renovado - o contrato entre o governo estadual e o consórcio que fornecia o equipamento. A saída temporária é um benefício concedido para os detentos que apresentam bom comportamento e já cumpriram parte da pena no regime semiaberto. São até cinco saídas ao ano a critério da Justiça.

Pela legislação, enquanto estiveram soltos, os detentos não podem frequentar locais de reputação duvidosa e estão proibidos de permanecer na rua após as 22 horas. Neste período de saída temporária, a Polícia Civil monitora os detentos que foram liberados. Há uma lista com os endereços onde cada um declara que irá estar. Caso sejam flagrados descumprindo as normas, são levados novamente para a delegacia, onde são adotadas as medidas cabíveis.

Evasão

Neste ano, outras duas saídas temporárias foram concedidas pela Justiça de Rio Preto, o que resultou na fuga de 113 detentos do CPP, já que eles não retornaram para o presídio. O primeiro indulto ocorreu em março, quando 1.240 presos ganharam a liberdade e 58 não voltaram para a unidade prisional de regime semiaberto. Em junho, 1.401 reeducandos foram beneficiados e 55 não retornaram.

Além de fugir, alguns presos em “saidinha” voltam a cometer crimes. Levantamento do Diário, mostra que desde 2010 detentos em liberdade temporária participaram de 13 roubos, seis homicídios e dois latrocínios (incluindo o do delegado Guerino). Em 2015, em quatro “saidinhas”, foram liberados 4.528 detentos, com retorno de 4.357, evasão de 171.

Tornozeleiras

Segundo a SAP, uma nova licitação foi feita para a disponibilização de 7 mil tornozeleiras eletrônicas. Mas a entrega dos equipamentos, conforme edital, será feita em duas partes, metade em novembro e metade em dezembro deste ano. “A SAP está mantendo entendimentos com a empresa vencedora da licitação, a fim de antecipar as fases previstas em contrato,” afirmou nota da assessoria de imprensa.

fonte: Diário da Região
créditos: Tatiana Pires

segunda-feira, 14 de março de 2016

Presos que deveriam estar em regime fechado circulam livremente em SP

Neste domingo (13), a reportagem do Fantástico flagrou presos que deveriam estar em regime fechado circulando livremente fora dos muros do presídio, em município de SP.

Pelo menos três detentos foram vistos com acesso à área externa da unidade prisional. Um deles, inclusive, tem prestado serviços na casa do diretor da própria instituição e participado de festas com os funcionários. Há ainda imagem de preso por cometer um crime a facadas andando justamente com um facão na mão.

Descubra por que alguns criminisos têm tantas regalias em veja o que os envolvidos têm a dizer.


fonte: G1 Fantastico

Mulher é detida ao tentar entrar com droga no CDP de Caraguatatuba, SP



Uma mulher de 50 anos foi detida ao tentar entrar com 100 gramas de droga no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Caraguatatuba (SP), neste domingo (13).

A mulher, que é companheira de um preso, foi flagrada por volta das 8h30, antes da visita ao interno. Os agentes consideraram o comportamento dela suspeito e, ao ser abordada, confessou o porte da droga.

Ela levava a droga em uma embalagem de cerca de 9 centímetros de comprimento dentro do corpo, nas partes íntimas. Dentro do pacote estavam 49 gramas de cocaína e 89 gramas de maconha.

A diretoria do CDP de Caraguá informou que instaurou Procedimento Disciplinar Apuratório e boletim de ocorrência. O fato será comunicado à Vara de Execuções Criminais (VEC).

A mulher foi encaminhada para a Delegacia da cidade e teve o nome suspenso do rol de visitas.


fonte: G1

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Para metade do país 'bandido bom é bandido morto', diz Datafolha


Metade do país acha que “bandido bom é bandido morto”, segundo uma pesquisa do Datafolha. Dos 1.307 entrevistados em 84 cidades com mais de 100 mil habitantes, 50% concordam com a expressão, 45% discordam e 5% não concordam nem discordam ou não sabem. A pesquisa foi feita no dia 28 de julho.

Com a margem de erro de três pontos percentuais, o resultado teve empate técnico. A pesquisa, encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, foi publicada nesta segunda-feira (5) na Folha de São Paulo.

A diferença aumenta ou cai um pouco quando separada por sexo. Entre os homens, 52% concordam e 45% discordam. Já entre as mulheres, 48% concordam e 46% discordam. Separado por idade, quanto mais velho, mais a expressão é aprovada. Na faixa de 16 a 24 anos, 42% concordam. Já para os que têm 60 anos ou mais, 65% estão de acordo.

Quando separado por cor da pele, a maior diferença é entre brancos e pretos. Para os brancos, 53% concordam e 41% discordam. Já entre os pretos, 44% concordam e 50% discordam. Por região do país, a maior diferença está entre o Sudeste – 48% concordam e o mesmo número discorda – e o Sul, onde 54% concordam e 37% discordam.


fonte: G1

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Presídios espalham violência pelo interior de São Paulo e Coordenador fica milionário



Hugo Berni Neto, responsável por 28 presídios do governo de São Paulo, conseguiu acumular patrimônio milionário em dois anos. Ele está na função desde 2006, passando pela direção do extinto Carandiru. A informação foi divulgada pela Folha de S.Paulo e publicada nesta terça-feira (29).

O que pode ter sido um grande negócio para os defensores da política da violência (redução do gasto com educação e aumento com presídios e polícia) foi bem ruim para a população.

Os governos do PSDB, incluindo o atual governador Geraldo Alckmin, espalharam os presídios pelo estado nos últimos 20 anos e, com eles, a espalharam também a violência pelo interior de São Paulo, segundo estudo feito no ano passado por pesquisadores da Unesp.

De acordo com reportagem da Folha, o coordenador de presídios, Hugo Berni Neto, tem um salário de R$ 18 mil e é responsável por licitações milionárias da Secretaria da Administração Penitenciária.
Um dos contratos, que está sob a apuração do Tribunal de Contas do Estado, o da alimentação dos detentos da Penitenciária 2 de Itapetinga, é avaliado em R$ 1,2 milhão. A empresa vencedora da licitação que está sob investigação é a Geraldo J. Coan, que teve seus proprietários entre os denunciados da “máfia da merenda”, acusada de fraudar licitações e pagar propina em municípios do estado.

Em pouco tempo Berni se tornou sócio da irmã em uma empresa imobiliária, que segundo ele é uma herança de família. A imobiliária constrói casas avaliadas hoje em mais de R$ 7 milhões. Ele também é sócio, desde 2013, da Midas Empreendimentos, que com a sua entrada aumentou o capital social de R$ 2.000,00 para R$ 273 mil, adquirindo diversos imóveis no interior paulista. “Minha vida pública não se misturou com a privada”, negou Berni qualquer relação entre enriquecimento e licitações.


 fonte: Carta Campinas 
 

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Comissão aprova livre acesso para veículos que transportam detentos



A Comissão de Viação e Transportes aprovou projeto do deputado Major Olimpio (PDT-SP) que concede prioridade no trânsito para os veículos do sistema penitenciário, da segurança do Poder Judiciário e do Ministério Público . O PL 1930/15 recebeu parecer favorável do relator, deputado Dagoberto (PDT-MS).

Pela proposta, que altera o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97), os veículos terão direito a direito a livre circulação, estacionamento e parada. O deslocamento liberado vale apenas para o veículo em serviço e identificado com sirene e iluminação vermelha intermitente.
Atualmente, este tipo de circulação já é permitida para ambulâncias, carros das polícias, do corpo de bombeiros e de órgãos de fiscalização de trânsito.

Detentos

O relator lembrou que o objetivo do projeto é facilitar o deslocamento de veículos que transportam detentos para audiências na justiça ou outros órgãos. “Durante o trajeto realizado por esses veículos, as condições de tráfego nas vias urbanas podem colocar o comboio em situações de vulnerabilidade a possíveis investidas criminosas de resgate”, disse o deputado Dagoberto.

O deputado pediu a rejeição do PL 1931/15, também de autoria do deputado Major Olimpio, que tramita apensado ao PL 1930. O texto concede o livre acesso no trânsito para veículos de órgãos da imprensa e de transporte de valores.

No primeiro caso ele considerou “descabida” a medida pela dificuldade de fiscalização. No segundo, ele disse que resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) já concede o benefício para as transportadoras de valores.

Tramitação

O PL 1930 tramita em caráter conclusivo e será analisado agora na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da Proposta:
PL-1930/15
Reportagem - Janary Júnior
Edição - Sandra Crespo

 fonte: Agência Câmara Notícias

Moka quer que preso pague ao Estado despesas durante cumprimento de pena



Um projeto PLS 580/2015 do senador Waldemir Moka (PMDB-MS) prevê a devolução desse valor aos cofres públicos. Pelo texto, o detento que tiver condições financeiras deve ressarcir ao estado os gastos com a sua manutenção. Para Moka, apenas transferindo a responsabilidade ao preso pelos seus gastos é que o sistema penitenciário brasileiro pode melhorar. Os detentos sem condições financeiras devem pagar com trabalho. Ouça mais detalhes com a repórter da Rádio Senado Cinthia Bispo.

Senado Notícias 

terça-feira, 22 de setembro de 2015

SAP afirma que vai apurar fuga de 11 presos do semiaberto de São Vicente



A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) instaurou, nesta segunda-feira (21), inquérito para investigar a fuga de 11 detentos do regime semiaberto da Penitenciária II, que fica às margens da rodovia Padre Manoel da Nóbrega, no bairro Samaritá, em São Vicente, no litoral de São Paulo.

A fuga dos criminosos da Ala de Progressão Penitenciária (APP) aconteceu durante a madrugada de sábado (19) e até o momento ninguém foi capturado.

Ação foi flagrada por um agente penitenciário, que avisou os demais companheiros sobre a atividade, mas o grupo não conseguiu deter os fugitivos.

Policiais militares foram acionados e fizeram uma vistoria na área, no entanto, também sem sucesso.

Um boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia Sede.
 
Sem muralha

Em nota, a SAP informou que as alas de regime semiaberto, obedecendo à legislação brasileira, não dispõem de vigilância armada e nem são cercadas por muralha. Quando recapturado, os presos voltarão ao regime fechado.


fontes: G1

sábado, 12 de setembro de 2015

Suspeitos de roubar R$ 1 milhão de carro-forte em Cajuru, SP, são presos



Pelo menos quatro suspeitos de integrar uma quadrilha que roubou R$ 1 milhão de um carro-forte e matar o motorista do veículo em uma rodovia entre Mococa e Cajuru (SP), há mais de um mês, foram presos na quinta-feira (10) na região de Campinas (SP).

Durante a ação, a quadrilha ainda libertou 37 presos que eram transportados em um comboio. Segundo o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), o grupo é um dos principais responsáveis por ataques a carros-fortes do Estado de São Paulo.

Entre os suspeitos presos estava um ex-sargento do Exército que, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), liderava a quadrilha e ensinava táticas militares nas interceptações dos veículos blindados. O grupo que atuou no ataque na Rodovia Abrão Assed usou uma metralhadora ponto 50, de uso exclusivo das Forças Armadas, durante a ação.

Prisão

Segundo o Deic, 40 policiais participaram da operação, que ocorreu quando a quadrilha se preparava para atacar um carro-forte na região de Campinas. Foram localizados três imóveis utilizados como bases operacionais do bando. Ao todo, oito pessoas foram detidas, mas quatro foram liberadas.

Durante a operação, os policiais invadiram simultaneamente três locais: um pesqueiro, um haras e uma casa, no Jardim Nova Esperança, entre Valinhos e Vinhedo, que funcionavam como ponto de encontro dos suspeitos.

Tática

Depois da prisão, o ex-militar suspeito de liderar a quadrilha levou os policiais até o local onde o armamento estava guardado, em um compartimento no meio de um terreno. Foram apreendidos duas pistolas e cinco fuzis, um deles calibre ponto 50 antiaéreo, utilizado para destruir a blindagem dos veículos de transportes de valores.

Ainda de acordo com o Deic, a tática da quadrilha era ultrapassar o carro forte e, aproveitando a camuflagem de um adesivo, atiravam no motor e nos vidros dianteiros do blindado.
 
Assalto planejado

O crime ocorreu em 7 de agosto quando um carro-forte que seguia pela Rodovia Abrão Assed, entre Mococa (SP) e Cajuru, foi assaltado pela quadrilha, armada com metralhadoras ponto 50, capazes de parar até tanques de guerra.

O grupo matou o vigilante Wladimir Martinez, de 49 anos, e fugiu levando um cofre com R$ 1 milhão dos R$ 4 milhões transportados. Na fuga, a quadrilha se deparou com um comboio, que levava 41 presos ao fórum de Serra Azul (SP).

Após troca de tiros com os policiais, os bandidos conseguiram fugir e libertaram os detentos às margens da rodovia. Segundo a secretaria, dos 37 presos que fugiram, 33 foram capturados.


fonte: G1

Estado terá de pagar R$ 94 mil para família de preso



O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou o Estado a pagar R$ 94,5 mil de indenização ao pai de um detento que foi enforcado no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Rio Preto. O suspeito do crime é outro homem que também estava preso.

Marcos Cesar Nascimento tinha 27 anos e cumpria pena por roubo. Ele foi encontrado morto na cela oito, no dia 17 de janeiro de 2011. A cena do crime e marcas no corpo apontaram para estrangulamento.

A Justiça de Rio Preto havia julgado improcedente o pedido de indenização por danos morais. No Tribunal de Justiça de São Paulo, a sentença foi reformada. “Agora, sim, uma decisão perfeitamente justa e dentro do que diz a lei. A responsabilidade do Estado é objetiva neste caso, por que ele estava sob os cuidados do Estado”, afirmou o advogado Wesler Augusto de Lima Pereira.

A reportagem não conseguiu contato com o pastor P.C.N, pai da vítima, para falar sobre o caso.


fonte: Diário Web

'Dona' de festa na prisão será 1ª presa a ir para o regime diferenciado em SP



A presidiária Cândida Márcia Santana Bispo, que aparece em vídeo coordenando uma festa de detentas na Penitenciária Feminina de Sant'Anna, na Zona Norte de São Paulo, deverá ser a primeira mulher a ir para o regime disciplinar diferenciado, mais rigoroso do que os de presídios comuns, segundo o SPTV. Ela aguarda a transferência para o presídio de Presidentes Bernardes, no interior do estado. O pedido da transferência foi feito pelo Governo de São Paulo e deverá entrar na Justiça nesta sexta-feira (11).

O regime displinar diferenciado (RDD) foi criado em 2003 e é considerado a forma mais rigorosa de prisão. Os presos passam 22 horas do dia trancados em celas individuais, com portas de ferro e uma pequena janela para ventilação. Não podem ver TV nem ler jornais. Cada preso tem direito a duas horas de banho de sol, sem contato direto com outros detentos, e só podem receber duas visitas por semana.

Até hoje, o RDD era só para homens. Apenas 20 presos considerados os mais perigosos do estado são mantidos nesse sistema. Como há espaço em Presidentes Bernardes, o único de São Paulo a ter o regime, o governo transformou uma das quatro alas em RDD para mulheres.

O secretário da Administração Penitenciária, Lourival Gomes, disse ao SPTV que o estado se preparava para mandar mulheres ao RDD, especialmente as presas que mandam em outras detentas e as que até comandam crimes de dentro das prisões.

Cândida Márcia aparece comandando a festa realizada no dia 31 de agosto e divulgada em vídeo na internet. Nas imagens, é possível ver grande quantidade de um pó branco, supostamente cocaína, pronta para consumo em uma bandeja e com desenhos identificando uma facção criminosa que age dentro e fora dos presídios e o aniversário de fundação dela.

A presidiária aparece nas imagens distribuindo as drogas para as detentas. Ela está presa desde 2009 e cumpre pena de 20 anos por diversos crimes, como estelionato, formação de quadrilha e tentativa de fuga.

Por causa da festa, o diretor de segurança da penitenciária foi exonerado. Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), a medida foi adotada assim que o órgão tomou conhecimento da gravação.

Ainda de acordo com a pasta, também foram exonerados os substitutos da penitenciária. Foi feita uma revista em todas as dependências da penitenciária e a transferência das internas identificadas nas imagens.

 
fonte:  G1

sábado, 5 de setembro de 2015

Diretor de presídio é exonerado após vídeo de festa regada a cocaína



O diretor de segurança da Penitenciária Feminina de Sant'Anna foi exonerado do cargo, nesta sexta-feira (4), após a SAP (Secretaria da Administração Penitenciária) ter tomado conhecimento dos vídeos divulgados pelo R7 nos quais detentas aparecem em uma festa regada a cocaína e maconha.

A droga teria sido fornecida pelo PCC (Primeiro Comando da Capital) em comemoração aos 22 anos da fundação da facção.

De acordo com a SAP, os substitutos do diretor também foram exonerados. As dependências da penitenciária foi revistadas e a internas identificadas nas imagens, transferidas.

Ainda de acordo com a secretaria, o caso está sendo investigado pela Corregedoria Administrativa do Sistema Penitenciário e, se comprovada a participação de outros servidores, eles serão rigorosamente punidos. 


fonte: R7

Vídeo de festa regada a cocaína na Penitenciária Feminina de Santana - SP

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Detento morre ao tentar fugir do Pemano de Tremembé, SP



Um preso morreu nesta quinta-feira (20) depois de tentar fugir do Centro de Progressão Penitenciária de Tremembé. Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária, o homem se feriu ao pular os alambrados da linha de tiro.

A fuga aconteceu por volta das 8h durante uma revista de rotina nos dormitórios. O preso foi recapturado já próximo ao muro que delimita a unidade. Com muitos cortes provocados pelos ouriços de segurança, ele foi levado ao pronto-socorro  de Taubaté, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Em nota, a SAP informou que com o fugitivo foram encontrados "um celular, 95 gramas de substância (pó branco) aparentando ser cocaína e 25 gramas de erva esverdeada supostamente maconha".


fonte: G1