sábado, 20 de dezembro de 2014

'Sumiu' na hora do almoço

Pelo menos 38 presos do CPP prestam serviço em frentes de trabalho para a Prefeitura de Rio Preto atualmente, por meio do convênio com o Estado. Todos são monitorados por profissionais da Prefeitura durante o trabalho. A Prefeitura afirmou que o reeducando desapareceu do serviço terça-feira, na hora do almoço, sem que ninguém percebesse. Os reeducandos atuam nas secretarias de Saúde, Serviços Gerais, Obras e do Trabalho. Os presos, que fazem parte do programa do governo do Estado "Pró-Egresso", recebem uma bolsa auxílio de R$ 395 e trabalham por até seis horas por dia, quatro dias por semana. No quinto dia os presos recebem aulas de capacitação.

A assessoria de imprensa da Secretaria de Administração Penitenciária informou que foi instaurado procedimento disciplinar e o fato foi comunicado ao juiz da Vara das Execuções Criminais. A nota informa ainda que devido a infração o preso deverá retornar ao regime fechado. 



fonte: DiárioWeb 
créditos: Victor Augusto

Em fuga, preso faz 'racha' na contramão




Um preso que cumpre pena no Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Rio Preto e sai regularmente para atuar como contratado das frentes de trabalho da Prefeitura espalhou perigo nas principais ruas centrais da cidade ontem de manhã. Renato Fragoso Júnior escapou do serviço, foi furtar usando um carro roubado e acabou perseguido pela polícia desde a região do Hospital de Base até à rodoviária. Junto com ele, no carro, estava a mulher dele, grávida de cinco meses.

A perseguição começou na avenida Faria Lima. O acusado desceu para a avenida José Munia, onde dirigiu na contramão por alguns quarteirões rumo à avenida Alberto Andaló. A partir daí, entrou na mão correta em alta velocidade e seguiu até à rua Pedro Amaral, passando em frente à rodoviária e virando à direita, na rua Bernardino de Campos, sentido Praça Cívica, entrando para a plataforma de embarque e desembarque de passageiros de ônibus.

Ao entrar na plataforma, o fugitivo bateu o carro numa sarjeta. De acordo com o tenente da Polícia Militar (PM), Vinícius Ferrato Floriano, "depois que ele bateu o carro o pneu direito estourou e ele fugiu a pé. Fomos atrás dele e o pegamos dentro de um comércio no Centro". Fragoso Júnior cumpria pena em regime semiaberto no Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Rio Preto por latrocínio - e roubo seguido de morte. Com ele, a polícia encontrou R$ 5.894, uma arma falsa - o simulacro de uma pistola -, seis relógios e nove aparelhos de celular.

O carro usado nos roubos também era roubado e as placas apontavam outro veículo. "Ele estava dirigindo um Gol prata, mas as placas eram de um Gol branco", afirmou o tenente. O delegado Marcelo Parra, da Central de Flagrantes, classificou o crime como roubo e decretou a prisão de Fragoso em flagrante. "Pelo que já conseguimos apurar ele participou de pelo menos cinco roubos e duas tentativas. Todas as vítimas passaram as mesmas características de Renato e do carro", afirma.

Uma das vítimas que não quis se identificar é uma idosa de 74 anos. Ela teve o carro roubado no dia 9 de dezembro em frente ao Hospital de Base. De acordo com o sobrinho dela, que estava na Central de Flagrante, a idosa foi abordada por um homem com as mesmas características. "Ele a ameaçou com uma faca, pediu para ela descer do carro, entregar as chaves e ir embora. Desde então não tínhamos mais notícia do carro", afirmou.

A mulher do preso chegou a ser detida, mas foi liberada pelo delegado Marcelo Parra. De acordo com ele, a mulher disse não saber que o marido praticava roubos e ela não teria participado das ações. "Pelo depoimento dela e pelas provas que colhemos não há envolvimento direto dela nos crimes. Ainda vamos investigar mais a fundo, mas não temos motivo para mantê-la presa", afirmou o delegado.

Já Fragoso foi encaminhado para a cadeia de Catanduva e depois será transferido para do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Rio Preto, onde ficará até o julgamento. 


"Eu estava com muito medo, não sabia o que estava acontecendo quando meu marido começou a entrar pela contramão nas avenidas. Eu pedi para ele parar (o carro) várias vezes, mas ele não me ouvia e acelerava cada vez mais". O relato é da mulher de Renato Fragoso, grávida de 5 meses, de um filho dele. A mulher, que pediu para não ter o nome revelado, afirmou não saber que o marido estava praticando crimes.

"Nós saímos hoje (ontem) de manhã e ele disse que ia no banco, depois parou em outro lugar e disse que era rápido. Quando voltou percebi que a polícia estava seguindo a gente", conta a mulher. "Ele dizia que os celulares eram de amigos que pediam para arrumar algumas peças. Dizia que os relógios eram comprados por ele e que o dinheiro era pelo conserto desses objetos", disse ela, enquanto chorava na delegacia.

A mulher conta que estava casada com Renato fazia seis meses e há cinco engravidou. "Eu estava morando em Portugal com minha mãe e irmão. Trabalhava lá em um shopping, voltei para Rio Preto e uns amigos nos apresentaram, nós namoramos e decidimos casar. Agora não sei mais o que vou fazer, tenho um filho na barriga e cuido da mãe dele, que é idosa", afirmou com lágrimas nos olhos.  



fonte: DiárioWeb 
créditos: Victor Augusto
imagens: Hamilton Pavam

Câmeras flagram perseguição policial a um preso do CPP de São José do Rio Preto

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Presas resgatadas por PCC em São Bernardo continuam foragidas



O delegado da 7° DP (Delegacia de Polícia) de São Bernardo do Campo, Dr. Negrão, afirmou que até esta segunda-feira (15), nenhuma das 24 detentas foragidas da cadeia pública da cidade haviam sido capturadas.

O ato foi cometido pelos integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital) na madrugada de sexta-feira (12), quando apenas um policial tomava conta de 86 mulheres presas. O alvo da ação era uma detenta que integra a facção criminosa PCC e cujo nome é mantido em sigilo pelas autoridades.

Estava na delegacia apenas um policial como carcereiro e foi agredido por três criminosos que o trancaram numa cela, sendo encontrado quando os outros policiais chegaram para trabalhar na manhã do mesmo dia.

Segundo o delegado, as mulheres estão sendo procuradas nos endereços de triagem que elas possuem nos registros, além de outras apurações internas de endereços de possíveis amigos ou familiares. O paradeiro dos criminosos que invadiram a cadeia e libertaram as mulheres continua também sem informação.

Negrão ressalva que desde o dia do ataque, nenhum outro movimento estranho foi observado ao redor do Centro de Detenção Feminino. De acordo com a Polícia Civil, a arma que estava com o policial foi levada pelos componentes do PCC.


fonte: R7

Detento é encontrado morto em cela (RCD)



Um homem foi encontrado morto em uma cela no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Americana na manhã de ontem, dois dias depois de ter sido preso por porte e disparo de arma de fogo. Ele pediu para ficar isolado alegando que não confiava nos outros detentos. O pedreiro Benedito Augusto de Lima, 39, foi encontrado, durante a contagem de presos, enforcado com a própria roupa. Lima estava pendurado pela camiseta do uniforme do CDP, que estava amarrada à janela da cela.
 
O caso foi registrado como suicídio pela Polícia Civil de Americana. O pedreiro estava preso desde sexta-feira por disparo e porte irregular de arma de fogo. Anteontem, segundo os agentes penitenciários que o encontraram, Lima teria pedido para ser retirado da cela onde estava por "não confiar nos outros presos".
 
Os agentes sugeriram que ele fosse transferido para outra cela e, segundo contaram, o acusado disse não confiava em "nenhum" preso. Segundo os agentes, a direção da cadeia o isolou em uma cela individual, destinada para o RCD (Regime de Cela Disciplinar).
 
O detento foi encontrado morto por volta de 6h de ontem e aparentava ter morrido há algumas horas, segundo os agentes. A perícia foi chamada ao local do crime.
 
O RCD (Regime de Cela Disciplinar) é também conhecido como "castigo", por deixar o detento em isolamento. O local só é acessado por funcionários do CDP, segundo informou a polícia.
 
A reportagem entrou em contato com o CDP de Americana, mas um funcionário informou que eles só se pronunciariam por meio da assessoria de imprensa da SAP (Secretaria de Administração Penitenciária). A reportagem também entrou em contato com a SAP, por telefone, mas as ligações não foram atendidas.
 
A SSP (Secretaria de Segurança Pública) informou apenas que a morte foi registrada como suicídio e que a Polícia Civil investiga o caso. 
 
 
fonte: TodoDia 
crédito reportagem: Thomaz Fernandes
crédito imagem: Claudeci Junior

Oito presos fogem de penitenciária no interior de SP

Mais seis presos fugiram neste domingo, 14, do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Pacaembu, no oeste do Estado de São Paulo. Eles aproveitaram o horário de visitas para escapar.

"Pularam o primeiro alambrado e, como eram seis, tiveram força suficiente para erguer, com a mão protegida por pano, o segundo alambrado, passando por baixo", explicou um agente penitenciário ouvido pela reportagem.

Dois presos já haviam fugido na tarde de sábado, 13, do CPP da mesma maneira. As visitas foram imediatamente canceladas neste domingo e, até as 20h45, nenhum fugitivo havia sido recapturado. A Polícia Militar fazia buscas na região da Nova Alta Paulista.

Os oito fugitivos têm idades entre 20 e 39 anos. O CPP foi construído para abrigar até 700 detentos do semiaberto, mas, atualmente, está com o dobro de sua capacidade.


fonte: R7

Agente Penitenciário é morto em Campinas e categoria protesta



Um agente penitenciário, de 56 anos, foi baleado e morto em um depósito de bebidas na região do bairro dos Amarais, em Campinas (SP), no sábado (13). De acordo com o sindicato da categoria, que protestou após a morte do profissional, quatro suspeitos participaram da ação criminosa.

Um deles entrou na loja e disparou três tiros contra Airton Pinto Barbosa, que foi atingido na cabeça. O grupo fugiu levando a arma do servidor. O enterro acontecerá às 9h desta segunda (15), em Itaí (SP).

O Sindicato dos Agentes Penitenciários declarou luto pela morte do agente nesta segunda e confirmou que os serviços dos profissionais da categoria acontecerão de forma mais lenta neste início de semana. Segundo João Rinaldo Machado, presidente do Sindicato dos Agentes Prisionais de São Paulo (SP), a suspeita é de que exista uma ação planejada do crime organizado.

Ainda de acordo com o presidente, esta foi a 9ª morte de agentes profissionais neste ano no estado, número que supera o dobro dos registros nos anos anteriores. A Secretaria de Segurança Pública do Estado ainda não se pronunciou sobre o ocorrido.


Segundo caso na cidade

Este é o segundo caso de agente penitenciário morto em Campinas em dois meses.  Um agente penitenciário que trabalha no Presídio Ataliba Nogueira, em Hortolândia (SP), foi morto a tiros na noite de 7 de outubro  na porta da casa onde morava.  Cleoni Geraldo Lima, de 50 anos, deixava a residência no bairro Parque União da Vitória, quando dois homens desceram de um carro e começaram a atirar. Dois dos disparos atingiram a cabeça da vítima. Ao todo, segundo os policiais militares, foram sete tiros de arma calibre 9 milímetros.

Os projéteis atingiram também a lataria e o vidro lateral do carro do agente. Doze cápsulas de munições foram encontradas no local. Segundo testemunhas, mesmo baleado o agente tentou fugir e correu por cerca de 20 metros. Os assassinos o perseguiram e fizeram mais disparos. Ele foi levado para o hospital, mas não resistiu. “É uma cena difícil de engolir. Era um cara trabalhador. Pai de família. Todo mundo que conhece o Cleoni está revoltado por causa da brutalidade”, disse na noite da morte o vizinho da vítima Diderot Cardoso. Lima havia ingressado no serviço penitenciário em dezembro de 1990.


fonte: G1


sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Detentos escondem dinamites em presídio de SP

Ao menos dez cartuchos de emulsão de dinamite foram encontrados no último dia 28 no pátio do raio 2 do CDP 2 (Centro de Detenção Provisória) de Guarulhos, na Grande São Paulo.

A Polícia Civil e a SAP (Secretaria de Estado da Administração Penitenciária) não sabem como o material entrou na unidade prisional, mas, como o tipo de explosivo encontrado é usado em demolições, as autoridades desconfiam que os presos iam usá-lo para derrubar a muralha da prisão.

Segundo a Polícia Civil, o diretor do CDP, Emerson Rodrigues Sanches, 37 anos, acionou o Copom (Centro de Operações da Polícia Militar) e informou que, “durante revista de rotina”, agentes penitenciários notaram que parte do piso de concreto estava danificada e no local havia artefatos enterrados.

Homens do Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais), unidade de elite da Polícia Militar especializada em explosivos, foram chamados.

Os PMs encontraram dois cartuchos de emulsão de dinamite caseira e outros oito cartuchos de emulsão de dinamite da marca Maxam, tipo 1.1 D 024.

A equipe do Gate isolou o local, recolheu e apreendeu as dinamites. O caso foi registrado no 4º DP de Guarulhos.

O CDP 2 de Guarulhos tem capacidade para 841 detentos. Até ontem, a unidade abrigava 2.694 presos, o triplo do limite de vagas.

De acordo com agentes penitenciários, o presídio é dominado por integrantes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

Em nota divulgada, a SAP informa que “graças ao trabalho de inteligência, mais uma vez a ação criminosa foi coibida nas unidades prisionais”.

Ainda segundo a nota, “o material apreendido pelo Gate é de composição orgânica e imperceptível ao detector de metais”.

A SAP informou também que instaurou procedimento para apurar o caso.


fonte: R7

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Agentes penitenciários capturam pombo que levaria celulares para CDP de Mauá





 
Os agentes notaram a ave nas proximidades da portaria da unidade penal e a capturaram

Agentes de segurança penitenciária do Centro de Detenção Provisória de Mauá, na grande São Paulo, capturaram um pombo que carregava um telefone celular, uma bateria e dois chips presos às costas, na tarde do último domingo (7). Os objetos estavam dentro de duas pequenas mochilas improvisadas com tecido.

Os agentes notaram a ave nas proximidades da portaria da unidade penal e a capturaram. Os objetos foram levados à Delegacia de Polícia para elaboração de boletim de ocorrência e a ave foi entregue à Guarda  Municipal de Mauá, que tem função de Policiamento Ambiental. (Com informações da Secretaria de Administração Penitenciária).


fonte: Jornal Dia Dia

Viatura do CDP de Taiúva se envolve em acidente na Rodovia Armando Salles de Oliveira no trecho de Olímpia-SP



Um acidente envolvendo três veículos fechou as duas vias da Rodovia Armando Salles de Oliveira por mais de uma hora.

Chovia quando uma viatura da Secretaria de Administração Penitenciária bateu na traseira de uma caminhonete que estava parada na fila em um trecho em obras, próximo ao Auto Posto Pimenta. 

A viatura voltava de uma viagem, aonde havia levado presos do CDP de Taiúva para Presidente Prudente. 

fonte: Jornal da Comarca 


terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Carta liga cúpula do PCC ao transporte público


O dinheiro do tráfico de drogas pode estar sendo aplicado no transporte público de São Paulo. A revelação consta em uma carta apreendida na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau. Este é o principal indício já relatado de que os líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC) têm o controle de lotações das cooperativas da São Paulo Transporte (SPTrans).

A carta que associa a cúpula da facção à SPTrans foi encontrada por agentes penitenciários em maio de 2012. Segundo o Estado de S. Paulo, que teve acesso ao documento, há envolvimento de Roberto Soriano, o Tiriça - membro do PCC destacado para negociar com facções cariocas, segundo investigações do Ministério Público.

De acordo com a publicação, a carta dá a entender que Tiriça tinha uma lotação e doou para outro membro do PCC, conhecido como Cego. Ao receber a doação, Cego teve ordem para vender uma van que já era de sua propriedade. O dinheiro da venda do veículo iria para a facção.

A reportagem revela ainda que Ministério Público Estadual (MPE) e Polícia Civil, que têm cópias da carta, investigam delitos em cooperativas das zonas sul e leste de São Paulo. A prefeitura da capital paulista, que comanda a SPTrans, afirma que colabora com as autoridades sempre que é solicitada. A administração também estuda excluir o modelo de cooperativas da concessão do transporte público.

Os dois citados na carta, Tirça e Cego, fazem parte da "Sintonia Fina", um grupo de sete pessoas que respondem diretamente a Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola - líder máximo do PCC. Esta é a primeira vez que a cúpula da facção é citada em um documento que relata a ligação com o sistema municipal de transportes. Até agora apenas membros hierarquicamente inferiores haviam sido mencionados.

O PCC tem mais de 7,5 mil integrantes e fatura cerca de R$ 120 milhões ao ano, de acordo com as investigações do MP.


fonte: Band

STF discute se preso deve ser indenizado por superlotação

 


São Paulo - O Supremo Tribunal Federal (STF) discute se um preso deve receber indenização devido à superlotação carcerária e à falta de condições de saúde e higiene no presídio. A informação foi divulgada pela coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S.Paulo.

Segundo informações do STF, o tema entrou em debate a partir de um caso no Mato Grosso do Sul. O detento Anderson Nunes da Silva entrou na Justiça contra o Estado por danos morais.

O Tribunal reconheceu que o tema é de repercussão geral, e a discussão agora leva em conta os limites orçamentários do Estado. O caso pode influenciar milhares de outros presos.

De acordo com a coluna da Folha de S.Paulo, Anderson Nunes da Silva foi condenado a 20 anos de prisão por latrocínio e detido em Corumbá (MS). Ainda segundo o jornal, o relator do caso, ministro Teori Zavaski, votou pelo pagamento da indenização, de R$ 2.000.

Zavaski afirma que detentos cumprem pena "em condições não só juridicamente ilegítimas, mas humanamente ultrajantes". O estado do Mato Grosso do Sul alega insuficiência de recursos.

O sistema prisional brasileiro está superlotado, com déficit de 220 mil vagas, de acordo com dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2014.

As condições carcerárias entraram em debate recentemente, quando a justiça italiana negou o pedido de extradição do ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato.

Pizzolato foi condenado a 12 anos e 7 meses de prisão no processo do mensalão. A negativa da justiça italiana foi baseada justamente no "risco do preso receber tratamento degradante no sistema prisional brasileiro".


fonte: Exame
créditos: Mariana Desidério

Ladrões fortemente armados atacam presídio em Franco da Rocha, grande SP

Grupo com fuzis ataca presídio e três detentos fogem na Grande SP

Criminosos armados com fuzis atacaram na manhã desta segunda-feira (8) o Centro de Progressão Penitenciária de Franco da Rocha, na Grande São Paulo. Os detentos do presídio cumprem pena no regime semiaberto e podem sair para trabalhar. Ao menos três presos fugiram, informou o SPTV.

A fuga aconteceu às 10h. Os homens armados com fuzis atiraram contra os seguranças, que reagiram. Os presos que fugiram pularam a muralha. As marcas dos tiros ficaram na guarita.

O carro branco usado na fuga foi encontrado num bairro vizinho. O veículo, roubado na capital paulista em abril, estava com placas clonadas de outro carro da mesma cor e do mesmo modelo. Ele foi abandonado porque um dos pneus estourou.

Depois da ação, os mais de 2,1 mil presos foram para o pátio. As celas foram revistadas pelo grupo de intervenção, uma espécie de batalhão de choque dos presídios. E os presos passaram pela recontagem. As portarias ficaram fechadas, com funcionários apreensivos.

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) diz que é raro haver fuga numa unidade com regime semiaberto. Os presos sabem que quem quebra as regras ou tenta fuga perde o benefício. A direção do presídio suspeita que os fugitivos não tenham sido escolhidos para passar o Natal em casa.

A SAP disse que um agente penitenciário teve escoriações provocadas por estilhaços dos disparos. Ele foi levado ao hospital e passa bem. Foram encontradas, no local, 12 cápsulas de calibre 762 e uma cápsula de fuzil AR 15. A direção do presídio registrou um boletim de ocorrência sobre o caso. Até as 19h15, nenhum dos detentos havia sido recapturado.


fonte: G1


domingo, 7 de dezembro de 2014

MP encontra interno cuidando de portaria no CR de Lins

Promotores de Justiça de Araçatuba responsáveis pela corregedoria das unidades prisionais da região encontraram um interno do CR (Centro de Ressocialização) de Lins controlando a portaria da unidade.O flagrante aconteceu em visita realizada na semana passada. Eles encaminharam ofício à direção do presídio, solicitando a substituição por agentes de segurança, mas até ontem não tinham sido atendidos.

Em resposta, a instituição argumentou que o ressocializando “cuida apenas do portão do estacionamento”. O MP (Ministério Público) encaminhou novo ofício na tarde de ontem, dando 24 horas de prazo para que a solicitação seja atendida.O documento encaminhado à direção do CR no último dia 29 é assinado pelos promotores Lindson Gimenes de Almeida e Adelmo Pinho. Nele, eles citam que em visita correcional à unidade prisional se depararam com um reeducando controlando a portaria de acesso ao interior do imóvel, local onde devem ser identificadas as pessoas que entram e saem da unidade.

De acordo com o ofício, o portão foi aberto pelo interno, que não solicitou documentos de identificação. A situação causou surpresa nos promotores, que consideraram que poderiam estar diante de uma rebelião. Por isso, no mesmo dia informaram o fato à direção do CR.


fonte: Folha da Região
créditos: Lázaro Jr.